Segunda-feira, 30 de Abril de 2007

“O Canto das Sirenes encontra o Fado”

Companhia  Mécanique Vivante com Margarida Guerreiro [França/Portugal]
dia 18 Maio
local Zona envolvente Piscinas
hora 23h30
duração 60m
Criação para o Festival Imaginarius 2007

 

“O Canto das Sirenes encontra o Fado”


Fruto de sete anos de pesquisas e de desenvolvimento, a Sirene musical advém da adaptação da célebre sirene de alerta. Novo instrumento de música acústico, inscrito na era das invenções, a Sirene conjuga inovação tecnológica e criação artística.

Música transfronteiriça e universal, o Canto das Sirenes propõe um repertório de obras ecléticas de cores solenes e futuristas. Assim, investigadores-compositores e “Sirenistas, tocadores de Sirenium, são os pioneiros desta nova matéria sonora, própria da Sirene musical.

Concebida para comover grandes audiências, a orquestra polifónica é objecto de instalações ambientais únicas. Afixadas em edifícios menos prováveis, ou “namorando” com o topo dos mastros de navios, as Sirenes revelam o potencial poético das nossas cidades e dos nossos territórios.

O projecto Sirene associa a música e a inovação tecnológica. Um universo próprio de Mécanique Vivante que incrementa, desde 1997, um programa de pesquisa e de desenvolvimento digno de um processo industrial. O projecto, tal como será apresentado no Imaginarius, conta com a participação de Margarida Guerreiro e de Custódio Castelo. Este cruzar com a fadista e o seu guitarrista levou o canto das Sirenes de Mécanique Vivante a encontrar-se com o Fado.

 

 “Desde a sua criação que a Companhia Mécanique Vivante instala, ao ar livre, nas cidades e nos campos, as suas máquinas de fazer sonhar os “bons vivants” e os seus dispositivos cénicos musicais, desde a escala mais íntima do indivíduo até à de um vale inteiro.” E. L.

Para revelar o potencial poético do nosso mundo urbanizado, ela procura identificar os suportes do imaginário e do prazer no local escolhido, para fabricar um momento novo, um objecto jamais visto, com novas utilizações…

Inventor, construtor, músico e fundador de Mécanique Vivante, Franz Clochard aprendeu a domar toda uma “ménagerie” de objectos, mais ou menos nocivos e invasores, transformados por ele em melodias, brinquedos de crianças, volteio e imagens oníricas vivas, ao serviço de um espaço, da sua arquitectura e dos seus habitantes.

Margarida Guerreiro nasceu em Montemor-o-Novo, no Alentejo. Desde muito cedo que se apaixonou pelo fado, através dos discos de Amália Rodrigues que existiam em casa dos pais. Começou a cantar aos doze anos num espectáculo no Convento de S. Domingos, em Montemor-o-Novo, com D. Vicente da Câmara e José da Câmara. Vencedora do concurso de fado do “Amália Clube de Fado“ perante um júri composto por Carlos do Carmo, Rodrigo, João Braga, Carlos Zel, do qual resultou o seu primeiro registo discográfico.
Representou Portugal no Festival de Música Internacional El Hatillo, na Venezuela, no II Encontro de Jornalistas, Festival das Quatro Cidades.

Custódio Castelo nasceu em Almeirim e aos sete anos construiu o seu primeiro instrumento musical de onde surgiram os primeiros sons, e aos treze anos é-lhe oferecido o primeiro instrumento “a sério”, uma guitarra acústica. Desde muito cedo que Castelo foi considerado um prodígio pela audaciosa e diferente forma de abordar a guitarra portuguesa e o seu talento reconhecido pelos mais exigentes fadistas dessa época, sendo convidado para acompanhar muitos dos grandes nomes do fado tradicional.

Em 2006, Margarida Guerreiro e Custódio Castelo conhecem-se e o compositor, guitarrista e produtor convida-a dar voz ao seu mais recente projecto artístico - “encores” - que se encontra em digressão por todo o país e será editado em CD no decorrer deste ano.

 

 

 


publicado por ellveds às 05:42
| comentar | favorito
1 comentário:
De Círculo Solar a 11 de Maio de 2007 às 00:51
UMA MÃO CHEIA DE CHAPLIN
DE 23 A 31 DE MAIO 2007
NO JARDIM REPÚBLICA EM ALMEIRIM


Este ciclo de cinema planificado para ser exibido ao ar-livre é organizada pela Câmara Municipal de Almeirim e tem a sua programação assinada pela Círculo Solar- Maternidade de Ideias.

Inteiramente dedicado ao génio de Charlie Chaplin os cinco filmes que enchem esta mão, demonstram bem talento do autor-total. Todos os filme apresentados são realizados, musicados, interpretados pelo próprio Chaplin.

O Jardim República, fica no centro de Almeirim. Charlie Chaplin justifica a viagem e Almeirim vale a visita.

A entrada é livre.


PROGRAMAÇÃO

SESSÃO DE ABERTURA - Quarta-feira 23 de Maio 2007, 21:30h
* O Miúdo – 68' – 1921 – filme mudo

Quinta-feira, 24 de Maio 2007, 21:30h
* A quimera do Ouro – 92'–1925 – filme mudo

Sábado, 26 de Maio 2007 , 21:30
*O Circo – 96' - 1928 – filme mudo

Quarta-feira 30 de Maio 2007, 21:30
*Tempos modernos – 83' - 1936 – filme mudo

SESSÃO DE ENCERRAMENTO, Quinta-feira, 31 de Maio 2007, 21:30h
* O Grande Ditador – 120' – 1940 – filme sonoro


Comentar post

*IMAGENS " ENCORES "

*ENCORES

*posts recentes

* NOVO CD "ENCORES FADO - L...

* JORNAL de LETRAS

* VIVA a MUSICA - ENCORES F...

* ENCORES FADO Live - Anten...

* CUSTODIO CASTELO - Site O...

* FESTIVAL SETE SÓIS SETE L...

* Crítica - Concerto de Cus...

* “O Canto das Sirenes enco...

* MARGARIDA GUERREIRO e CUS...

* Festival de Alpedrinha

* Casino da Figueira da Foz

* A Guitarra Portuguesa de...

* CENTRO CULTURAL DO CARTAX...

* AMIGOS

* Arruda dos Vinhos 23 de N...

*pesquisar

 

*arquivos

* Março 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Julho 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Novembro 2006

* Setembro 2006

* Agosto 2006

* Junho 2006

* Maio 2006

*Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31